Nem tudo é aconselhável colocar no currículo

8 de Maio de 2018 | CV | Christopher Arimont

O que devemos evitar?

Escrever um currículo pode ser mais difícil do que podemos imaginar no primeiro momento. Caso tenhamos que destacar a algumas informações ou pontos numa página, é melhor evitar colocar outras logo no início.

Os dados pessoais (idade, estado civil, opinião política ou religiosa etc.), por exemplo, não são obrigatoriamente necessários. A menos que estas informações apresentam uma vantagem significativa para a oferta de emprego.

Erros ortográficos e gramaticais são absolutamente de evitar. Eles demonstram negligência e para alguns até incompetência e conseguem que uma candidatura pareça absolutamente surrealista. É melhor então reler duas vezes (e porque não no papel?) ou pedir outro para reler.

Os hobbies são um ponto muito discutido. Por um lado, ilustram a personalidade de um candidato, por outro lado, são muitas vezes utilizados ou vistos como forma de preencher lacunas. Também aqui é de notar: só os deveremos acrescentar se representarem uma vantagem para a candidatura.

Nas competências, formações e experiências é igualmente importante mencionar dados verídicos. Uma mentira ou excessivo enfeite é facilmente verificável e irá prejudicar a candidatura.

Criatividade é bom; no entanto demasiada na maioria das vezes, não o é. O que é desejado de um ilustrador é perturbador para um banqueiro. Estrutura, estilo de fonte e cor deverão ser bem pensadas e não perturbadoras.

Tal como já foi afirmado neste artigo, termos negativos devem ser evitados. Uma forma de expressar positiva deixa uma melhor impressão.

ofertas de emprego correspondentes
todas as ofertas de emprego correspondentes
artigos correspondentes