A carta de motivação tem as suas vantagens

13 de Julho de 2018 | CV |

Motivar ou não motivar?

A carta de motivação é algo de acessório para alguns já que é sobretudo o CV que conta. De qualquer das formas, ela permite a alguns recrutadores tirarem dúvidas relativamente a um perfil: o conhecimento que se tem da função a desempenhar, da empresa, do setor e das suas necessidades em termos de competências. Em termos gerais, a carta deve mostrar que o candidato não é alheio ao assunto e que a sua candidatura merece ser estudada atentamente.

A carta de motivação é importante por dois motivos:

“Ela confirma frequentemente um CV validado, mas também pode compensar um CV um tanto fraco.”

Em caso de dúvida, os recrutadores procuram na carta de motivação uma confirmação das competências do candidato.

Em especial, também estarão atentos à adequação do perfil com o cargo a desempenhar espelhada na carta de confirmação. Para a elaborar é, pois, preciso ter alguns conhecimentos sobre a empresa, os quais servirão como argumentos. Ela deve claramente explicar por que razão se candidata, o que o cargo é apresenta como interessante e o que o motiva a juntar-se à equipa. Nada demasiado complicado, desde que o percurso de vida tenha relação com a função a desempenhar e que o perfil corresponda ao cargo.

A estrutura continua a ser o clássico «você-eu-nós»: uma primeira parte para explicar o interesse para a empresa; uma segunda para a utilidade das competências do candidato; e, por fim, a parte «Nós» para abordar a futura colaboração.

Também não se deve simplesmente parafrasear o conteúdo da oferta de emprego, ou o do CV. O recrutador não necessita que o lembrem daquilo que ele procura ou daquilo que já sabe, ele quer encontrar na carta de motivação as competências e as experiências exatas que correspondam às suas expectativas.

ofertas de emprego correspondentes
todas as ofertas de emprego correspondentes
artigos correspondentes