Rescisão!

3 de Abril de 2019 | Carreira & Procura de emprego | Nathalie Burg

Não há razão para esconder a cabeça na areia

A rescisão, qualquer que seja o motivo, é desagradável e pode ter sérias consequências para a pessoa em questão. Não obstante, ou por essa mesma razão, não se deve mergulhar em autocomiseração neste caso.

A rescisão pelo empregador é sempre uma situação onerosa. Uma mistura de raiva, vergonha e medo do futuro determina as emoções da pessoa em questão. Porque fomos nós demitidos e não o colega de quem não gostamos? O que pensam os colegas de si? Desempregado, e agora? Estas são apenas algumas das preocupações com as quais terá que lidar no caso de uma rescisão.

No entanto, há dicas que pode ter em conta para lidar melhor com a situação.

A primeira questão a ser esclarecida deve ser sempre o motivo da demissão. Foi dispensado devido à situação económica da empresa? Os seus serviços não foram suficientes ou ficou a dever algo?

Se for o primeiro caso, a rescisão não tem nada a ver com consigo. Aqui, por uma questão de lógica, muitas vezes, são os funcionários mais recentes que ainda não estão completamente adaptados ao trabalho como os funcionários de longa data que já passaram metade das suas vidas na empresa.

Se a rescisão tiver outras razões, deve perguntar-se como isso pôde chegar tão longe. Se o chefe estava, frequentemente, insatisfeito com o meu desempenho, isso pode ser um sinal de que não estou apto para o trabalho. Cometi um erro grave, senti-me oprimido e infeliz, a demissão também tem os seus aspetos positivos. Assim, após a raiva inicial, pode até admitir que o trabalho já não lhe interessava e que pensou, secretamente, em mudar de emprego.

Novas portas irão abrir-se, lentamente. Mesmo que seja difícil no início, deve estar ativo, imediatamente, após a rescisão e mudar para “procura de emprego”.

Uma coisa é evidente: novas portas irão abrir-se, lentamente. Mesmo que seja difícil no início, deve estar ativo, imediatamente, após a rescisão e mudar para “procura de emprego”. Qualquer pessoa que tire férias e queira aproveitar o seu “tempo livre recém-conquistado”, geralmente, acha difícil encontrar o caminho de regresso à vida de trabalho quotidiana.

Ao procurar um novo emprego é, definitivamente, aconselhável pedir ao antigo empregador um certificado de emprego que contenha avaliações dos serviços prestados. A experiência que adquiriu no seu antigo emprego e os serviços que prestou irão ajudá-lo(a) a encontrar um novo emprego. O “tempo livre” pode ser usado para formação ou requalificação, o que pode e deve ser mencionado no currículo. Isso causa uma boa impressão e demonstra empenho e vontade de se desenvolver ainda mais.

ofertas de emprego correspondentes
todas as ofertas de emprego correspondentes
artigos correspondentes